quinta-feira, 29 de abril de 2010

G.A.P PELAS TERRAS DA MAIA...

O Grupo de Arqueologia do Porto e o Gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal da Maia entram em parceria, de forma a garantir ao grupo o contacto directo com as mais variadas áreas de trabalho, da escavação de salvaguarda ao desenho e limpeza de peças.
Os trabalhos já começaram e vão durar até 2011.


terça-feira, 27 de abril de 2010

FLASHES SEIXALENSES








Não necessariamente por ordem de entrada em cena: a Mundet quando ainda laborava, o passeio à vela no Tejo, uma réplica de uma ânfora da Quinta do Rouxinol e o Moinho de Marés de Corroios.



NA BAÍA DO SEIXAL

video

Uma bela jornada no Seixal, com um mix de todos os anos de arqueologia e com a professora Teresa Soeiro no leme: moinho das marés de Corroios, olaria romana da Quinta do Rouxinol, um passeio na baía do Seixal numa das embarcações típicas do estuário do Tejo (um bote-fragata) e, para rematar, uma visita à fábrica de cortiça da Mundet.

Em suma, um dia em cheio!

quarta-feira, 21 de abril de 2010

ARQUEOLOGIA SUBAQUÁTICA

Segunda-feira estivemos em Braga, no campus da Universidade do Minho, e ainda conseguimos acompanhar a jornada da tarde das jornadas organizadas pelo Instituto de Arqueologia daquela universidade. Acertámos na mouche pois fomos a tempo de ouvir Paulo Alexandre Monteiro falar de arqueologia subaquática sem preconceitos e paninhos quentes. Para além de nos mostrar o magnífico trabalho que fez com a carta de arqueologia subaquática dos Açores, Monteiro deixou o repto aos novos arqueólogos para se juntarem a uma equipa de especialistas portuguesas neste momento reduzida a cinco elementos. Primeiros passos a dar: tirar a carta de marinheiro e fazer um curso de mergulho. Escavar na água é, obviamente, muito diferente de escavar na terra mas os princípios são os mesmos, como explicou Monteiro. Note-se que só nos Açores há registo de 600 navios naufragados, pois os Açores era o "gargalo" por onde obrigatoriamente tinham de passar os barcos vindos do Oriente e das Américas. Também ficamos a saber que temos naus naufragadas em 54 países. Pudessem todas elas ser "trabalhadas" e haveria trabalhinho para todos, pelo menos para os que se atrevessem a vestir um fato de mergulho e a lançar-se em águas frias e junto a uma saída de um cano de esgoto, como já aconteceu à equipa de Monteiro. "Esta é arqueologia do futuro", disse. É, sem dúvida, um desafio muito grande, sobretudo quando do outro lado estão os famosos caçadores de tesouros munidos de shot-guns, como deu para ver num dos slides.

AGeoUP - mais um grupo com VONTADE na FLUP!


Caminhada no concelho de Ponte de Lima


A AGeoUP vai realizar a 24 de Abril de 2010 uma caminhada em Ponte de Lima e nas Lagoas de Bertiandos.
Esta caminhada tem como principais objectivos fomentar a ligação à natureza, entrando em contacto com o meio envolvente e percebendo o que o caracteriza e o compõe e dar a conhecer as dinâmicas daquela região através da troca de experiências e conhecimentos dos participantes, fomentando também o convívio e a socialização entre todos os que partilham o gosto pela Geografia!






Horários:

7h30 – Encontro na entrada poente da FLUP
7h45 – Saída da FLUP em direcção a Ponte de Lima
9h00 – Chegada às Lagoas de Bertiandos
9h15 – Saída do Centro de Interpretação Ambiental onde começa o Percurso das Veigas*
13h00 – Chegada ao Centro de Interpretação Ambiental
13h10 – Saída das Lagoas em direcção a Ponte de Lima
13h30 – Almoço no parque de merendas junto à Praça de Camões ou num restaurante**
14H30 – Visita à Vila de Ponte de Lima
16h45 – Encontro na Praça Camões
17h00 – Saída de Ponte de Lima em direcção à FLUP
18h00 – Chegada à FLUP
* O Percurso das Veigas tem 6 km e o grau de dificuldade é baixo.
** O almoço fica à responsabilidade de cada um, podendo optar por levar uma merenda ou ir a um restaurante à sua escolha.



Preços:
Sócios = 6,50€                     Não-sócios = 8,00 €

·         Os preços acima incluem viagem de ida e volta em camioneta e um lanche (água, maçã e queque).
·         As inscrições só são validadas após o pagamento e envio de comprovativo (devidamente identificado) para:ageoup@gmail.com


Para mais informações visitem a página da AGeoUP no facebook ou enviem um e-mail para ageoup@gmail.com

Contamos com vossa presença!

terça-feira, 20 de abril de 2010

CURSO DE VERÃO PALEOGRAFIA MODERNA

CURSO DE VERÃO PALEOGRAFIA MODERNA

Mosteiro de São Martinho de Tibães
Braga
De: 14 a 18 de junho de 2010.

Mais informações: 253622670
Mosteiro de Tibães
msmtibaes@culturanorte.pt

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Porto tem 52 imóveis à espera de classificação




Há 52 edifícios e outros imóveis na cidade do Porto à espera de verem concluídos os respectivos processos de classificação como património cultural, segundo dados do Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (Igespar). Destes, 15 estão "em vias de classificação" há mais de uma década, sendo que quatro já o estão há mais de 20 anos.


Mas esta situação poderá ser contrariada a partir deste ano. De acordo com um decreto-lei que entrou em vigor em Janeiro, os procedimentos em curso caducam, se não forem objecto de "decisão final" até ao final do ano, prazo que pode ser prorrogado por mais um ano. David Ferreira, técnico da Direcção Regional de Cultura do Norte (DRCN), explica que, principalmente nos anos 90, houve um aumento exponencial dos pedidos de classificação que deparou com uma "estrutura frágil" do Ministério da Cultura, que "não estava preparada para dar uma resposta capaz".

David Ferreira acrescenta que o próprio procedimento administrativo "era complexo" e que alguns trâmites, como a publicação de editais, a notificação dos proprietários e a emissão de pareceres por parte do conselho consultivo do antigo Ippar, que "se reuniu muito poucas vezes" nos anos 90, atrasaram os processos. A directora da DRCN, Paula Silva, aplaude a legislação que "agiliza" o processo.

O facto de os processos ainda não estarem concluídos não significa que os edifícios não gozem de protecção legal. Na prática, mal seja instruído o processo, isto é, mal sejam considerados "em vias de classificação", os edifícios, e respectivas zonas de protecção (os 50 metros envolventes) ou zonas de protecção especial (dependendo da paisagem), passam a ser abrangidos por servidão administrativa, não podendo ser alterados sem autorização do Igespar.

Isto, segundo David Ferreira, também poderá explicar alguns atrasos, visto que, tendo em conta a necessidade de proteger um grande número de edifícios, em risco devido à "transformação muito rápida" do país nos anos 80 e 90. "Muitas vezes, era mais prioritário abrir um novo processo do que concluir anteriores", concretiza.

Confrontada com o prazo de um ano para concluir os processos, a DRCN preparou "um plano de acção", adianta David Ferreira, para "evitar a caducidade do maior número possível" de processos ao definir prioridades. E Paula Silva desdramatiza a situação, explicando que, depois de caducarem, os processos poderão ser reabertos.

No Porto, já existem 92 imóveis classificados: 16 como Imóveis de Interesse Municipal, 19 como Monumentos Nacionais e 57 como Imóveis de Interesse Público.

IN: JORNAL PÚBLICO

domingo, 18 de abril de 2010

DUQUES E SENAS ALEGRES

O Paço dos Duques de Bragança, em Guimarães, foi palco da festa de aniversário do Grupo século XIX, que teve o patrocínio da revista "Caras". Eis como se prova que é possível animar o nosso património.

POUCOS...MAS BOM, MUITO BOM

A terceira conferência organizada este ano lectivo pelo GAP foi abrilhantada pela álacre sapiência de Carlos Abreu Amorim. Lamentavelmente foram poucos, muito poucos, os alunos de arqueologia da FLUP que estiveram presentes. O esforço para trazer até nós vozes que acrescentam continua na fronteira da inglória... CAA foi apresentado por Francisco de Almeida Garrett como um homem com uma "cultura amplexiva e coruscante enastrada em cores variegadas e jucundas". Foi um excelente pontapé de saída para uma conferência durante a qual se falou no julgamento de Sócrates (o grego, obviamente) e no de Jesus Cristo. A conferência foi gravada e brevemente irei tentar fazer uma síntese sobre uma hora e meia que nos "prendeu" às cadeiras e que nos fez dar boas gargalhadas. E, reparem, o tema era Direito Romano...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

I Jornadas de Arte Pré-histórica do Sudoeste Europeu

23 e 24 de Abril
Barroca, Fundão

Continuam abertas as inscrições para a participação nas Jornadas de Arte Pré-histórica do Sudoeste Europeu, que terão a sua primeira edição na Casa Grande da Barroca.

Inscrições e informações em:
www.museuarqueologicofundao.com

Programa

Moderadores do debate: Raquel Vilaça | João Mendes Rosa

Sexta-feira
9h30h – Recepção dos participantes
10h00 – Sessão de abertura
10h15 – Mila Simões de Abreu, Sara Garcês, Fernando Coimbra, Luiz Oosterbeek
Instituto Politécnico de Tomar, Portugal
Contribuição para o estudo sistemático da arte rupestre do Vale do Tejo: organização de corpus de gravuras e pinturas.
10h45 – Coffee break

11h00 – Primitiva Bueno
Universidad de Alcalá de Henares, Espanha
 Modelos integrales de ubicación de marcadores gráficos: el caso del Tajo
Internacional.
11h30 – Mário Varela Gomes  
Universidade Nova de Lisboa, Portugal
Zoomorfos fantásticos, na arte do Vale do Tejo.
12h00 – Francisco Henriques, João Caninas, Mário Chambino, Fernando Henriques, Telmo António, Cézer Santos e Alexandre Canha
Associação de Estudos do Alto Tejo, Portugal
Novos grafismos rupestres em afluentes da margem direita do Tejo, no Distrito de Castelo Branco.
12h30 – Debate
13h00 – Almoço na Casa Grande
14h30 – Angelo Fossati
Footsteps of Man, Archaeological Cooperative Society, Itália
Valcamonica Rock Art: a world heritage view.
15h00 – Armando Coelho Ferreira da Silva
Universidade do Porto, Portugal
Uma cena de caça ao veado … e a evolução interpretativa da arte Pré-histórica e Proto-histórica.
15h30 – António Martinho Baptista
Centro Nacional de Arte Rupestre, Portugal
O Vale do Zêzere (Poço do Caldeirão e Costalta) no contexto da arte paleolítica de ar livre peninsular.
16h00 – Coffee Break
16h15 – Visita às gravuras rupestres do Poço do Caldeirão.
17h45 – Debate


Sábado
10h00 – Rodrigo de Balbín Behrmann
Universidad de Alcalá de Henares, Espanha
Arte Paleolítico Pintado al Aire libré en la Sierra de San Pedro, Cáceres.
10h30 – Sebastián Celestino Pérez
Instituto de Arqueologia de Mérida, Espanha
La interpretación de la iconografía oriental en Tartessos.
11h00 – João Luís Cardoso e Rui Boaventura
Universidade Aberta, Centro de Estudo Arqueológicos do Concelho de Oeiras (C.M. de Oeiras); C. M. de Odivelas, Portugal
Os monumentos megalíticos dos arredores de Lisboa e as suas manifestações artísticas.
11h30 – Julián Bécares Pérez, Gaspar Alonso Gavilán y Milagros Bartolomé Rubio
Universidad de Salamanca, Espanha
Pinturas rupestres y roca soporte: análisis de su interacción en las pinturas prehistóricas de Las Batuecas. 
12h00 – Jean–Jacques Cleyet-Merle
Museu Nacional de Pré-história, França
            Comunicação a definir
12h30 – Debate e conclusões das Jornadas.

Almoço na Casa Grande
14h30 – Visita à Aldeia de Xisto de Janeiro de Cima.

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios “Património Rural/Paisagens Culturais"


Uma excelente  iniciativa da Câmara Municipal de Serpa.

Inscrições/informações: Gabinete do Património Arquitectónico e Arqueológico (telef. 284 540 270)
Org.: Câmara Municipal de Serpa

Vitrúvio e o reboco Romano....


Hoje na aula de arqueologia clássica II da Faculdade de Letras do Porto, falou-se de reboco e técnicas de acabamento de construções romanas.
O trabalho foi apresentado pelo amigo Alfredo Duarte, em 40 minutos falou-se do tão conhecido reboco romano, segundo Vitrúvio seriam aplicadas cerca de sete camadas para um trabalho final de grande qualidade e alta durabilidade.
Os exemplos desta apresentação passaram essencialmente pelo detalhe das ruínas de Pompeia.
Sem duvidas uma grande apresentação.
Os trabalhos continuam daqui para frente alargados aos mais variados campos da construção e arquitectura Romana.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

CONFERÊNCIA DIREITO ROMANO

Quinta-feira, dia 15, no Anfiteatro Nobre, CARLOS ABREU AMORIM é convidado do GAP para mais uma conferência. O conhecido jurista irá falar-nos de Direito Romano, a partir das 15.30 horas. A apresentação será feita por FRANCISCO DE ALMEIDA GARRETT.

Contamos com a tua presença e com a tua participação.

sábado, 10 de abril de 2010

sexta-feira, 9 de abril de 2010

NÃO É A LUA, É SERPA


Impressionante e impressiva apresentação hoje, no 2.º Encontro do Jovem Investigador, infelizmente tão pouco divulgado na nossa faculdade, sobre o sítio da Torre Velha 3, em Serpa, na barragem da Laje. Eduardo Porfírio e Miguel Serra falaram deste sítio "bronzeado" onde se revelaram estas espectaculares sepulturas com sinais de "ritualização" e muito ossinho para roer. Não pude estar o dia todo no encontro e tive pena embora este tipo de acontecimentos proporcione também algumas dissertações poéticas sobre o valor das paisagens e filosofias que tal que na parte que me toca...passo, embora admita que neste mundo há lugar para tudo e para todos.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

AO QUE ISTO CHEGOU...

Uma equipa de arqueólogos de uma universidade de Astorga, Espanha, depois de, há semanas, ter descoberto um importante troço de uma calçada romana nas fundações do prédio que está a ser construído na Rua 1º de Dezembro, em Chaves, na passada quarta-feira deparou com uma enorme quantidade de objectos de ouro que se supõem serem também da época do Império Romano.

Contudo, um dos arqueólogos e dois estudantes-estagiários do “Departamento de Pré-historia, Historia Antigua y Arqueologia” da Universid Don Pelayo, de Astorga, recolheram algumas peças e abandonaram o local, desconhecendo-se o seu paradeiro.

O saque não foi maior porque, casualmente, a arquitecta municipal Dora Videira, cujo gabinete se situa quase de fronte, na mesma rua, tinha ido à varanda para fumar. Ao aperceber-se da fuga dos arqueólogos deu imediatamente o alarme.

Quando os técnicos camarários chegaram ao local ainda havia ali três fíbulas de ouro com pedras, 11 alfinetes de prata, quatro deles com bolas, duas pregadeiras de ouro em formato de cobra, uma de iluminura, e uma pulseira de ouro em forma de serpente, que o arqueólogo municipal Sérgio Carneiro não teve dúvidas em identificar como pertença da Imperatriz Lollia Paulina, terceira esposa do imperador Calígula (12-41DC).

A presença dos arqueólogos espanhóis em sondagens realizadas em Portugal resulta de um protocolo celebrado em Outubro passado entre a Divisão de Ar-queologia Preventiva e de Acompanhamento, do Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, e a Subdirección General de Cooperación Cultural Internacional del Ministerio de la Cultura de Espanha.

A investigação do furto ficou a cargo da Polícia Judiciária.

O presidente da autarquia, João Batista, no entanto, dizendo-se bem informado quanto ao decorrer das diligências policiais, declarou-se “esperançado na recuperação integral do nosso valioso património, uma vez que os autores do furto estão perfeitamente identificados”.
in SEMANÁRIO TRANSMONTANO

...NO DIA 1 DE ABRIL DE 2010!

2.ª CONFERÊNCIA DO GAP

A 2.ª conferência organizada pelo GAP decorreu na sala 109 - algumas pessoas tiveram de ficar de pé... - e foi para mim uma agradável surpresa. Não só pela qualidade da jornalista Cristina Aguiar, que nos veio falar de Mitologia Nórdica, mas também pelo grau de conhecimentos de alguns dos presentes e pelo verdadeiro interesse que demonstraram, ao ponto de no final muitos dos presentes me terem pedido uma segunda rodada (que irá ser tratada). Confesso que Mitologia Nórdica não é propriamente um tema muito exaltante para mim mas até eu fiquei por momentos "fixado" na matéria que nos falou da Terra do Meio e de diversos "deuses" em cujo panteão Odín surge como macho alfa. Enfim, confirma-se que ao apontarmos este primeiro ciclo de conferências para temas "marginais" foi uma boa aposta, assim se provando que para além do núcleo duro das matérias académicas há muito campo para explorar. Obrigado Cristina por duas horas inesquecíveis e também a todos aqueles que decidiram aderir a mais esta iniciativa do GAP.
Entretanto, na próxima 5.ª feira, dia 15 de Abril, teremos na FLUP Carlos Abreu Amorim para nos falar de Direito Romano. A conferência começará às 15.30 horas e estamos a tentar marcá-la para o anfiteatro nobre. Ainda em Abril, esperamos promover uma quarta conferência, esta com o nosso colega André Serdoura, que nos irá apresentar o trabalho que preparou este semestre para a disciplina de Arqueologia Contemporânea 2 sobre movimentos coloniais. Recordo que este ciclo de conferências foi inaugurado pelo jurista Francisco Almeida Garrett, que nos veio falar de um gládio que viajou até à Barreira de Plank.